Vampire: the Masquerade, Bloodlines 2 não será lançado em 2021.


É com grande pesar que nesta manhã do dia 23 de fevereiro de 2021 o Vale das Trevas, assim como a comunidade de Vampiro: A Máscara internacional, ficou sabendo da triste notícia de que a sequência tão aguardada do jogo Vampire: The Masquerade, Bloodlines, lançado em 2004, não chegará às mãos dos fãs esse ano. O comunicado foi feito pelo próprio Twitter oficial do jogo por volta das 4 da manhã. Um comunicado foi postado na página, e nele recebemos esta mensagem:

Bom dia a todos. Como vocês puderam notar, nós estivemos em silêncio por um tempo. Com isto em mente, a primeira notícia que nós temos para vocês é confirmar que Bloodlines 2 ainda está em desenvolvimento.

A segunda é que nós tomamos a difícil decisão de que o Hardsuit Labs não estará mais liderando o desenvolvimento do Bloodline 2, o que também significa que o jogo não será mais lançado em 2021 como anteriormente planejado. Por conta de nós não conseguirmos, neste momento, comunicar uma nova data de lançamento, nós também decidimos parar de aceitar compras antecipadas por hora.

O jogo é muito importante para nós e tem sido um projeto ambicioso logo de início. Para que nós possamos atingir nossos objetivos para com o produto, nós chegamos a conclusão que uma mudança é necessária e, como consequência, precisamos de mais tempo de desenvolvimento.

Nós gostaríamos de usar esta oportunidade para honrar o Hardsuit Labs pelos seus esforços e agradecê-los pelo trabalho duro neste projeto. O estúdios fez um tremendo trabalho para criar as bases para o jogo e nós esperamos que vocês, a comunidade, também aprecie a contribuição deles para o Bloodlines 2.

Nós somos agradecidos pelo seu apoio contínuo ao longo do desenvolvimento do jogo. Nós entendemos o quão importante ele é para vocês. O mais cedo que pudermos, iremos deixar vocês saberem como será o futuro time de desenvolvimento do Bloodilnes 2.

Paradox Interactive.” (Twitter, 23/02/2021)


O estúdio Hardsuit Labs foi encarregado de liderar o time de desenvolvimento do jogo logo quando foi anunciado. For a Bloodlines 2 o estúdio só era responsável por outro jogo: Blacklight Retribution, um jogo de tiro para o PC. A decisão de colocar um estúdio criado em 2015, e que só lançou um jogo pouco conhecido para desenvolver o que talvez seja o jogo mais importante para o World of Darkness, foi questionada em grande parte pela comunidade. Fora isso, os anúncios feitos pelos cabeças do estúdio sobre como o jogo seria desenvolvido, somado aos vídeos e gameplay que eram revelados ao público, culminou em um dos maiores desastres de marketing para um projeto como esse. A verdade é: Quase ninguém esperava que o jogo fosse bom.


O que aconteceu?


Para entendermos o que levou a esse comunicado precisamos entender dois fatores importantes. Primeiro, o Hardsuit Labs tomou várias decisões altamente questionáveis, e que se distanciavam muito do que estávamos esperando para uma sequência do Bloodlines original. Segundo, a Paradox vem, há alguns meses, tornando o desenvolvimento de seus produtos “In-House” o que significa que eles estão rompendo com estúdios terceirizados associados para evitar problemas de agenda e visões discrepantes.


Primeiramente, o estúdio Hardsuit Labs tinha que se preocupar em entregar uma continuação nos mesmos moldes que o jogo original, além disso o jogo ainda tinha que arcar com o sucesso de dois outros jogos de Vampiro: A Máscara que foram lançados antes: Coteries of New York e Shadows of New York, ambos desenvolvidos pela Draw Distance, e ambos adquiriram bastante sucesso e público dentro e fora da comunidade.


O trailer inicial do jogo revelava uma nova história de vampiros que aconteceria na época atual, o que deixou muitas pessoas esperançosas pelo sucesso do jogo. Apesar disso a demo mostrou um jogo que por mais que fosse bonito, se comparado com Werewolf: The Apocalypse, Earthblood, apresentava mecânicas estranhas e mal acabadas. O jogo mais parecia um game de ação e aventura com elementos de Vampiro, do que de fato um jogo de Vampiro. Após um tempo, o estúdio revelou que refaria várias mecânicas do zero, incluindo o sistema de combate, o que atrasou mais ainda o desenvolvimento.


Mas isso não chegava aos pés das decisões controversas que o Hardsuit Labs fazia. Fomos revelados que os Clãs só teriam 2 Disciplinas disponíveis, ao invés das 3 padrão como são aprensentadas no jogo de RPG, e ainda que os únicos Clãs jogáveis seriam apenas 5 dos 7 Clãs base aprensentados no Bloodlines original: Brujah, Malkavianos, Toreador, Tremere e Ventrue, deixando os Clãs Nosferatu e Gangrel de fora do lançamento do jogo. O estúdio também paracia não seguir nenhuma edição do jogo específica, como o jogo original fez com a edição revisada, e os jogos da Draw Distance fizeram com a quinta edição, ao invés disso parecia pegar ideias de todas as edições e usá-las todas em um único jogo.


A decisão da Paradox em remover o estúdio do desenvolvimento pode ter sido inteiramente pragmática. Fato é que o Hardsuit Labs não parecia muito disposto em seguir a visão já estabelecida pelos outros títulos, querendo fazer algo à sua própria maneira. Mas isso não é tudo. Alguns meses atrás a Paradox Interactive decidiu tornar o desenvolvimento de seus títulos “In-House” o que significa que eles decidiram remover o desenvolvimento de estúdios associados. O estopim para tal atitude pode ter sido a falta de comprometimento da Modiphius em lançar o Guia do Jogador da Quinta Edição, que foi futuramente lançado como o suplemento gratuito: Vampire: The Masquerade 5th Edition Companion, desenvolvido pela Renegade Game Studios e disponível no site do World of Darkness para download.


Mas o mais triste disso, talvez seja que a Hunters Entertainment, que estava desenvolvendo Lobisomem: O Apocalipse Quinta Edição, também não fará mais parte do desenvolvimento agora que ele está nas mãos de Justin Achille, e por mais que o senhor Achille seja inteiramente capaz de entregar um produto de qualidade, e ele já provou que de fato é, a decisão de cortar a Hunters parece mais como um dano colateral do que de fato uma questão de negócios, ainda mais após termos recebido dois trailers maravilhosos da quinta edição de Lobisomem e conhecido a equipe de escritores. Com tudo isso em mente talvez se torne mais compreensível a decisão da Paradox de cortar relações com o Hardsuit Labs.


O que isso significa para a Comunidade?


Temos coisas boas e coisas ruins para considerar disso tudo. Alguns elementos positivos são que ainda temos títulos e jogos saindo e esse pequeno contratempo não irá afetá-los, estamos aguardando esperançosamente pelo novo Vampire: The Masquerade, Swansong, e também pelos livros da Segunda Inquisição e o Guia do Sabá da quinta edição. Não obstante, a Paradox parece legitimamente preocupada com o desenvolvimento de seus produtos e em entregar algo de qualidade para os fãs, então essa mudança na administração pode ser algo muito positivo para o que vem por aí.


As consequências ruins disso são que o tempo de desenvolvimento de seus produtos ficará maior, já que agora se faz necessário um replanejamento para definir os objetivos e agendas, além disso temos que ver estúdios que estão trabalhando extremamente duro para desenvolver os produtos, serem jogados para escanteio, mas infelizmente é assim que os negócios funcionam. Algumas vezes você acerta e outras você erra, desta vez foi um erro, mas a próxima pode ser sim um acerto.


Yuri Ramos, o Precursor.

47 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo